Where's my dopamine? // Cadê a minha dopamina?

in StemSocial9 months ago

In times of over-excitement of the senses with food, with the use of TV and streaming, hyperstimulation through the internet and the overdose of information saturating our brain, it may seem greedy to ask for more dopamine, but that's where we find the real problem. The fact that we have too much of everything makes us quite insensitive to pleasures. This in itself is already an undeniable truth and proven in many scientific researches, but still, even for those who do a dopaminergic detox, decreasing their stimuli or for some people who naturally produce less dopamine, the topic remains problematic. The lack of dopamine is a common place for many people, especially those with ADHD (attention deficit hyperactivity disorder), however, the most common strategy for this type of disorder, which is the use of stimulants, does not seem to be a consensus in terms of long-term benefit (many studies demonstrate a certain neurotoxicity when observed in long-term exposure to the substance, in addition of course, the almost inevitable tolerance to drugs), in addition to the fact that a range of users may have anxiety disorders when using stimulant amphetamines. So the question that remains is: Are there other ways to improve your dopamine?


Source

A range of supplements are known to supposedly improve your brain dopamine levels, each with its own specific mechanism. But given that many of these nootropic supplements are still extremely recent in terms of scientific research, it remains only to rely on anecdotal reports of their effectiveness and on a few published scientific studies. For example, famous for containing Levodopa, Mucuna Pruriens bean is used as a food supplement capable of improving dopamine, but what is known so far is that Levodopa (L-dopa) works very well for Parkinson's patients because this type of amino acid acts specifically on dopaminergic receptors that involve motor control and not on levels of cognitive stimulation or well-being. For the same reason we don't see people using pharmacy L-dopa to treat ADHD. Even so, the substance has some popularity on the internet and there is no lack of personal reports claiming benefits in terms of stimulation, motivation, energy, well-being, focus. But on the same level, we have numerous reports of Mucuna deregulating dopamine receptors in the long term and can cause panic attacks within a few days of use.

baixados.png
Source

To avoid this type of thing, other dopaminergic pathways can be used, such as L-Tyrosine, the predecessor amino acid of L-Dopa, very common in numerous foods, but in smaller proportions. L-Tyrosine supplementation seems to bring benefits to some people, but it is also not a consensus among users. Some other supplements seem to have some similar potential, such as Ginkgo Biloba, Curcumin, Oregano Oil among others, but we are not talking about actions as direct and acute as the use of a stimulant drug for example, the most correct and balanced way. for dopaminergic supplementation is slow and unnoticed, which is naturally paradoxical when dopamine's own motto is "I want pleasure now".


Source

At the end of the day, if not through pharmacological means, what a person with chemical dopamine imbalance can and should do is, in addition to obviously correcting their sleep habits, physical exercise and healthy eating, is to supplement some of these components and observe the results. day to day. Unfortunately, there is no magic when it comes to dopamine, in the same way, the cost of an amphetamine or even a problematic and dangerous drug like cocaine is the rapid tolerance, physical and psychological dependence and risks of triggering an imbalance more severe than just the "lack of focus and pleasure," like psychosis or worse.

Thanks for reading and voting!

Article research sources: 1, 2 and 3

Thômas Helon Blum

separador_de_texto_1.png

Português

Em tempos de superexcitação dos sentidos com alimentos, com o uso da TV e dos streamings, hiperestimulação através da internet e a overdose de informações de saturam nosso cérebro pode até parecer ganancioso pedir por mais dopamina, mas aí é que encontramos o verdadeiro problema. O fato de termos excesso de tudo nos torna bastante insensíveis aos prazeres. Isso por si só já é uma verdade inegável e comprovada em muitas pesquisas científicas, mas ainda assim, mesmo para aqueles que fazem uma desintoxicação dopaminérgica, diminuindo seus estímulos ou para algumas pessoas que naturalmente produzem menos dopamina, o tema continua sendo problemático. A falta de dopamina é um lugar comum para muita gente, principalmente os portadores de TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) porém, a estratégia mais comum desse tipo de transtorno que é o uso de estimulantes parece não ser um consenso em termos de benefício para longo prazo (muitas pesquisas demonstram uma certa neurotoxicidade quando observadas em longa exposição a substância, além claro, da tolerância quase inevitável aos fármacos), além de que uma faixa dos usuários pode apresentar transtornos ansiosos em utilizar anfetaminas estimulantes. Logo, a questão que resta é: Existem outros caminhos para melhorar sua dopamina?


Source

Uma gama de suplementos é conhecida por supostamente melhorar seus níveis de dopamina no cérebro, cada qual com seu mecanismo específico. Mas dado que muitos desses suplementos nootrópicos ainda são extremamente recentes em termos de pesquisa científica, resta apenas basear-se em relatos anedóticos de sua eficiência e em poucos estudos científicos já publicados. Por exemplo, famoso por conter Levodopa, o feijão Mucuna Pruriens é utilizado como suplemento alimentar capaz de melhorar a dopamina, mas o que sabe-se até o momento é que a Levodopa (L-dopa) funciona muito bem para pacientes com Parkinson por que esse tipo de aminoácido age especificamente em receptores dopaminérgicos que envolvem o controle motor e não em níveis de estímulo cognitivo ou de bem estar. Pelo mesmo motivo não vemos pessoas utilizando L-dopa de farmácia para tratar TDAH. Ainda assim, a substância tem certa popularidade na internet e não faltam relatos pessoais afirmando benefícios em termos de estímulo, motivação, energia, bem estar, foco. Mas no mesmo nível, temos inúmeros relatos sobre Mucuna desregular os receptores de dopamina há longo prazo além de poder causar ataques de pânico em poucos dias de uso.

baixados.png
Source

Para evitar esse tipo de coisa pode-se utilizar outras vias dopaminérgicas, como é o caso da L-Tirosina, o aminoácido antecessor do L-Dopa, muito comum em inúmeros alimentos, mas porém em proporções menores. A suplementação de L-Tirosina parece trazer benefícios para algumas pessoas mas também não é um consenso entre os usuários. Alguns outro suplementos parecem ter algum potencial semelhante, como o Ginkgo Biloba, a Curcumina, o Óleo de Orégano entre outros, mas não estamos falando de ações tão diretas e agudas como o uso de um fármaco estimulante por exemplo, a via mais correta e equilibrada para a suplementação dopaminérgica é lenta e pouco perceptiva, o que naturalmente é paradoxal quando o lema da própria dopamina é "quero prazer agora".


Source

No final das contas, se não for por vias farmacológicas, o que uma pessoa com desbalanço químico de dopamina pode e deve fazer é além de obviamente corrigir seus hábitos de sono, exercício físico e alimentação saudável, é suplementar alguns desses componentes e observar os resultados no dia a dia. Infelizmente não existe mágica quando se trata de dopamina, da mesma forma, o custo de uma anfetamina ou mesmo uma droga problemática e perigosa como a cocaína é a rápida tolerância, dependência física e psíquica e riscos de desencadear um desiquilíbrio mais severo do que apenas a "falta de foco e prazer", como psicose ou coisa pior.

Obrigado pela leitura e voto!

Fontes de pesquisa do artigo: 1, 2 e 3

Thômas Helon Blum

Sort:  

!discovery 20


This post was shared and voted inside the discord by the curators team of discovery-it
Join our community! hive-193212
Discovery-it is also a Witness, vote for us here
Delegate to us for passive income. Check our 80% fee-back Program

Your content has been voted as a part of Encouragement program. Keep up the good work!

Use Ecency daily to boost your growth on platform!

Support Ecency
Vote for new Proposal
Delegate HP and earn more

Dopamine makes you excited but not happy. But people call it so and that's the mistake of civilisation people. Dopamine happiness doesn't take long. The way to real happiness goes over serotonine. But that's too boring for civilization people and not interesting for marketing. Beside this Parkinson people need Dopamin because there is too less and it's a serious sickness.